DRUM-CAPÍTULO 3_( Parte Um)

Assim que o sol se pôs, Sarah já estava terminando de fazer o jantar. Durante esse período, Cinderela estava tomando conta dos animais e Anastácia e Drizella estavam tento aulas com a tutora. Sarah ainda tinha que colocar Cinderela nos estudos novamente mas isso seria um pouco demorado já que isso revelar um ajuste no contrato e dinheiro.

A Lady Tremaine não era podre, na verdade ela tinha bastante dinheiro deixado dos seus viúvos guardados, mas o problema é que ela não tinha como se sustenta nos próximos anos. Os vestidos e as jóias de Anastasia e Drizella saiam muito caro, tanto também com o dinheiro de aulas particulares e compra de convites para festas já que a Lady Tremaine queria está sempre diante da nobreza.

Mas mesmo que o dinheiro der para os próximos 3 anos, Sarah queria mais! Para paga empregados, já que Cinderela não iria mais trabalhar como escrava, os vestidos das crianças e também terem uma boa alimentação. Ainda tinha as dividas que a Lady Tremaine fez com várias pessoas de todas as áreas para passa a figura de alguém rica e sem preocupação.

– Lady Tremaine!

A Professora de estudos das crianças entrou na cozinha para anunciar o término da aula mas viu algo inesperado. A Lady Tremaine estava colocando a mesa calmamente, ela não estava tão bem vestido ou com muitas jóias mas sim usava um avental simples que estava sujo de comida, ela não parecia uma nobre arrogantemente.

– As crianças tiveram algum progresso?

Pergunta Sarah tirando o avental indo fala com a professora.

– Não exatamente, Anastasia consegue aprender depois de algum tempo…mas Drizella, é muito impaciente e não presta atenção nas aulas!

– Eu irei fala com ela. Desculpe o encômodo e obrigada..

– A-ah, não precisa ser educada Lady Tremaine. Estou aqui aos seus serviços!

– Aceitar fica para o jantar?

Convida Sarah mostrando seu lado gentil, ela não queria que a mulher saísse com fome e começasse a fofoca sobre qual é maltratada, ela não queria que sua reputação se deteriorase ainda mais.

– Oh! Sim! Eu aceito! Se não for incoveniente é claro!

– Não. Claro que não, por favor sente-se, espero que a comida esteja em seu agrado.

A professora parecia meio desconfiada das ações de Sarah mas ainda assim não recusaria o jantar, ela era uma apreciadora de alimentos e também ainda tinha trabalho para fazer depois da casa da Lady Tremaine. Vai saber quando ela poderá come essa noite?

– Mãe! Mãe!

Drizella e Anastasia entraram na cozinha correndo como sempre,nesse momento, Ella também entrou dentro de casa e ao contrário das irmãs estava toda melada de lama.

– Cinderella como você fede!

Fala Drizella fazendo cara de nojo. Logo sua irmã mais nova a acompanhou.

– Nadou com os porcos foi? Hahahahah

– O que aconteceu com você Ella?

Pergunta Sarah olhando a lama no caindo no cabelo da menina. Constrangida, Ella abaixou a cabeça falando em voz baixa.

– Rosinha ficou presa na lama, então eu tive que tira ela de lá….

– Saia! Você está sujando todo o chão e ainda nos envergonhado na frente da professora!

Fala Drizella como se estivesse espantado uma animal indesejado.

– Drizella! Não fale com sua irmã desse jeito. Ella vá toma banho e venha comer. Você e Anastasia ajudem a colocar os pratos na mesa por favor.

Drizella bateu o pé frustada. Sua mãe raramente a chamava a atenção e só hoje já a repreendeu duas vezes! Tudo por causa da Cinderella! Sua mãe estava muito estranha mas mesmo se essa ideia de aceita a bastarda na família dura, ela não aceitará! Só ela pode ser a perfeita dama da casa tramaine!

Mesmo com raiva, as meninas ajudaram a colocar a mesa e logo todas já estavam prontas para jantar. Fazer a comida foi um tanto complicado para Sarah, mesmo com a memória da Lady Tremaine, tinha algumas coisas que uma nobre não sabia muito bem e se fala que o conto passava num Reino que vivia como a era medieval, não tinha geladeira ou fogo á gás.

– Anastasia espere, sua irmã ainda não chegou.

Avisa Sarah vendo a pequena ruiva começa a pega os grãos de arroz.

– Mas por que temos que esperar Cinderela para come!?

Pergunta Drizella bufando.

Sarah olhou para ela atentamente, ao contrário de Anastasia quê só fazia o que sua irmã dizia, muito boba. Drizella realmente via Ella como uma ameaça.

– Uma verdadeira dama sempre espera que todos estejam na mesa para se servir Drizella.

Fala com um tom firme, pela lembranças da Lady, Sarah sabia que “ser uma dama perfeita” era o sonho e o fascínio da garota. Algo que ela almeja e fará de tudo para alcançar, obviamente implantado pela mãe que seguia o regime rígido de ser a representante da família Tramaine, a irmã mais velha.

O jantar foi bem calmo e o único barulho ouvido foi da conversa amistosa da professora com Sarah.

– Foi muito bom conversa com a senhora Lady Tremaine- fala a professora já indo em bora.

– Espero que o janta tenha a agradado?

– Oh! Estava delicioso! Realmente não sabia que uma Lady podia cozinhar tão bem hahahahah

– Bom, todas as mulheres tem seus segredos não é? Hahaha

– Tenha uma boa noite Lady Tremaine!

– Para você também!- fala Sarah fechando a porta dando um suspiro aliviado.

Ser carismática é realmente cansativo.

Sarah nunca foi muito uma pessoa social, não que ela não consiga de conversar ou seja tímida mas é mais como se sua verdadeira paz e força de energia fosse roubada todas as vezes que ela era obrigada a entrar em uma conversa com várias pessoas ao mesmo tempo.

Naquela noite, o casarão estava tão silencioso que poderia ouvir os grilos tocando sua sinfonia irritada a quilômetros. Não tinha nada para fazer assim que o sol se pôr, nada de tv, entendi e ou celular, o único divertimento era os livros e o pequeno rádio mágico que funcionada com uma pedra de energia.

O mundo dos contos de fadas era especialmente estranho, uma mistura de antiguidade e magia. Não era comum vê fadas, elfos, dragões ou pessoas com talentos mágicos mas também não era algo fora da realidade.

Vasculhando os imensos livros da Lady Tremaine a noite toda, Sarah descobriu que houve uma guerra entre humanos e seres mágicos a muitos séculos atrás, conhecido como A Grande Guerra ou a era do Caus. naquele tempos, quando as pessoas descobriam a existência da magia ficaram gananciosas e tentaram rouba para se mesmo, era comum vê alguém vendendo uma fera mágica e até lutas de seres humanos com grandes leões e seres mitológicos eram bem comuns. Mas uma era, os seres mágicos se rebelaram e mataram centenas de pessoas por vingança. O povo mágico, mesmo muito diverso, era minoria no mundo e normalmente ele são muito pacíficos, mas por causa dos humanos seu “jardim”, como era chamando o pequeno mundo mágico, foi invadido e ele foram tratados como mercadoria por alguns reinos.

Óbviamente isso não era para todos, esse mundo tinha 6 reinos, 3 deles são dominados pelos humanos, e somente 2 é são comandos por criaturas mágicas. Hoje em dia, não era comum vê seres mágicos já que ele quase nunca saem do seu reino, onde não é permitido entradas de humanos, mas também não é algo supreendente.

No reino de Magno, onde vive o conto da Cinderella, é um onde acreditasse que os seres mágicos são anjos ou até mesmo Deuses, os mais poderosos, e qualquer vingulo com eles é chamando de “benção”. São abençoados aquelas família que já tiveram gerações anteriores envolvido com magia e também aqueles que são descendentes de seres mágicos. Como a princesa Real, que aos seus 14 anos, despertou um pouco de magia herdado da sua bisavó, que era uma fada da terra. Seu dom é pode fala com os animais e isso a torna alguém muito querida e abençoada de todo o Reino.

Sentada em sua pequena cama, Sarah assobia pensativa.

– Nunca pensei que O mundo de contos de fadas era tão interessante…

Índice

DRUM-CAPÍTULO 2

Sarah acordou com um grande desconto, como se ela estivesse deitada em um grande coxão de feno. Algo parecia está lambendo seu rosto, era pesado e cheio de pelo, ao abri os olhos ela deu de cara com um grande gato gordo, de pelagem preta e branca que não parava de mia, como se estivesse reclamando de alguma coisa.

Sarah levantou tão bruscamente que o animal gritou e pulou para fora da cama em espanto. Imagens estranhas e vozes caiam em sua cabeça como uma cachoeira impiedosa, uma dor intensa e aguda não parava mas só crescia fazendo ela fica mais tonta e confusa.

– Mãe! Mãe! Anastasia está tentando rouba minhas coisas de novo!!

– É mentira! Esse vestido é meu!!

– Mas fica melhor em mim!

– Mas mamãe me deu!! Mãe!!

– Mãe!!

Duas meninas entraram no quarto gritando sem para. Sarah não conseguia vê-las direito pós sua tontura era grande e seus olhos nebulosos era o sinal de que mais lembranças entravam em sua cabeça.

– Mãe…?

– Calem a boca! Saiam daqui! Agora!!

Sarah gritou irritada, ela não queria mais barulho, ela estava sentindo dor e seu corpo parecia ainda mais pesado, a única coisa que ela queria nesse momento era fica sozinha em silêncio. Antes que Sarah podesse entende todas aquelas imagens, ela tinha desmaiado novamente.

***

– Mãe, a senhora está melhor?

A voz da menina, de cabelos castanhos e olhos grandes esverdeados, revela receio e preocupação. Ela olhava para o rosto belo e sem expressão da sua mãe com medo, já fazia quase dois dias que sua mãe não tinha saído do quarto e todas as vezes que tentava fala com ela, era ignorada e jogado para fora bruscamente. A sorte era que tinha comida e frutas no armazém, também tinha sua irmã adotiva que podia cozinhar.

– Drizella…onde estão suas irmãs?

A voz suave soou calmamente, como se a resposta realmente não importasse mas ainda assim dava uma sensação de ordem. Ela combinava perfeitamente com a figura da bela mulher elegante a sua frente.

– ….há! Irmãs? A Anastasia está no quarto e a bastarda na cozinha. Mãe a senhora quer que eu mande a Cinderela para fazer um chá pra senhora?

– Não obrigada. E não chame mais Ella desse nome e muito menos der apelidos a ela, ela também é uma da família agora.

A jovem de 13 anos ficou tão surpresa com as palavras da mãe que deu um passo para trás.

– Mãe a senhora deve está doente!!

– Fale comigo direito garota!

– Ela é uma bastarda! Porque isso agora? A senhora mesmo disse que ela só é um encosto deixado pelo pai nesta casa!

– Eu estava irritada por ter sido deixada na pobreza por aquele homem…. não irei desconta minha raiva Ella, além do mais, a garotinha é muito bonita vai arranjar um ótimo par no futuro…

-A bastada nunca será mais bonita do que eu!!!

– Uma dama nunca grita! Já pro seu quarto e não saia até eu manda!!

– E-e-eu não vou..!

A garota disse uma coisa mas vendo a face severa de sua mãe,correu para seu quarto chorando.

Sarah olhou para aquele drama todo revirando os olhos. Muito mimada, pensou. Mas ainda jovem, faltam 5 anos até a história encaminhar para o baile, ela deve ajusta tudo agora antes que algo pior aconteça.

Demorou um pouco até que ela aceitar que não está em seu mundo, em sua realidade. Ela já ouviu fala de histórias de Transmigração na escola, obviamente ela nunca tinha lido um novel ou um manga, isso era contra as regras da família, as regras da mulher para se torna uma verdadeira dama do clã Ryuxe, ou seja, moeda de troca mais bela. Mas Sarah sabia de alguma coisa como interromper o enredo era algo bem grave que só protagonistas podem fazer, mas ela transmigrou como a vilã que acabará podre e exilada.

Mas havia uma coisa boa em tudo isso, Ela agora estava livre. Literalmente longe de tudo e todos que a atormentavam em seus sonhos. Ela não era mas Sarah Devilly, a filha de um chefe do submundo, ou a irmã traída pela pessoa que mais amava. Ela era Sarah Tramaine, filha mais nova de um conde, mimada e ambiciosa, que seu único sofrimento foram as humilhações por sua aparência frágil na infância. Ela tinha duas filhas de um casamento política e agora era dona de uma terra infertil e viúva novamente de um homem que simplesmente sumiu após a deixa com sua filha.

O conto Cinderela, se passa na idade média, onde as mulheres não tinham muito poder e suas únicas esperanças eram se casar com um belo homem. Mas Sarah não ligava para o que os outros nobres falavam da Lady Tremaine, ela não queria se casar, ela poderia trabalhar e se alto sustentar com os meios que tinha.

E também ela estava ocupada com outra coisa….como ela, uma mulher que sempre viveu fugindo e enfrentando perigos, poderia cuidar de três meninas? Todas crianças com personalidades fortes? Ela nunca sonhou em ser mãe, ser chamado de mãe agora pouco a causou um sentimento muito desconfortável. Muito estranho.

Entrando na cozinha, Sarah viu uma menina de cabelos loiros e pele pálida lavando a louça com dificuldade, ela era muito pequena mas não parecia doente, seus pequenos pés estavam estendidos com toda a força em cima do baco de madeira para poder alcançar a pia.

Essa cena já se repetia muitas vezes durante todos esses dois anos de convivência, normalmente ela só iria manda a garota fazer mais alguma coisa enquanto falava como seu pai era um imprestável e ela um fardo para essa família, mas Sarah não era a Lady Tremaine, e também…essa criança parecia muito com ela em seus tempos de infância.

– O que está fazendo?

– L-lady tramaine…! Eu ainda não terminei mas já vou acabar!

Cinderela, ou melhor, Ella parecia muito nervosa que quase deixou cair o prato de porcelana.

– Deixe-me fazer isso…saia e vá brincar lá fora.

Sarah tirou a menina do banco e pegou a puxa e começou a lava ignorando o olhar de descrença da jovem.

– A senhora sabe lava louça?

Pergunta Ella de repente sem pensar, se arrependendo logo em seguida. Ela espantada colocou as pequenas mãos na boca com um olhar assustado.

– Sei.

A resposta de Sarah era curta mas não mostrava nenhum raiva ou descontentamento.

Mas Sarah viu aquele olhar… será que ela está sendo rápida demais?

Ella olhou para aquela mulher que parecia estranhamente estranha. Sua madrasta não parecia aquela que viva na sua família a mais de 2 anos, Ela parecia calma demais para isso, então Ella lembrou que Dricela falou que a Lady Tremaine estava doente… será que ela tá delirando?

– A madrasta quer que eu prepare um chá?

Pergunta Ella preocupada.

– Não. Estou perfeitamente bem, agora saia e vá brincar lá fora, crianças não devem fica na cozinha!

– mas…ainda falta lava as roupas, limpar os quartos e….

Ella parou de fala assim que sua madrasta virou-se para ela num tom severo.

– Isso não é um pedido Cinderela!

Rapidamente Ella correu para fora da cozinha. Mas ela se escondeu atrás da parede vendo aquela dama da nobreza fazer um trabalho doméstica com tanta facilidade, ela não estava só lavando a louça mas também limpando a cozinha e preparando o jantar….em alguns segundos a menina deve o deslumbre de vê a silhueta de sua mãe. Cinderela não lembrava muito bem da mulher que lhe deu a luz, ela morreu quando ela tinha 4 anos mas seu pai sempre contava histórias de como sua mãe era Alegre e gentil, sua imaginação era fértil suficiente para ela deslumbra uma imagem criada.

Animadamente, Ella saiu de casa pulando de felicidade querendo conta o que tinha acontecido para seus amigos Dunga e Billy.

Sarah viu aquela menina correndo no enorme campo em direção a uma pequena casa não muito longe do casarão com estranheza. Na história nunca tinha mencionados vizinhos…madas memórias da Lady Tremaine eram claras. Quem morava naquele pequeno barraco era os antigos empregados da casa, mas como a Lady Tremaine tinha demitido todos os empregados por não ter como pagar-los, e a terra também era infetil pá plantio, esse barraco deveria está Fazio… então quem Cinderela foi vê com tanta presa?

Índice

Próximo>>>

DRUM-CAPÍTULO 1

O barulho dos carros eram estridentes, o mar de pessoa vindo e indo para algum lugar era sufocante, quase como se seus corpos sugassem o pouco ar que tinha naquela grande cidade com seus enormes edifícios e luzes brilhantes.

As pessoas não pareciam se encomoda com o Sol forte sobre suas cabeças, elas estavam concentradas demais conversando entre se, enquanto olhavam seus aparelhos ansiosamente.

Todos estavam na mesma programação. O apresentador falava sobre o assunto mais comentado da internet onde aparecia vídeos curtos de Sarah Devilly, a cantora pop mais famosa do momento.

Sarah Devilly aparecia na mídia desde criança, começando como modelo infantil e atriz de novelas, até que ao completa a maior idade se lançou no mundo da música, onde ganhou mais fama e se tornou umas das mulheres com menos de 40 anos mais bem sucedida do país.

Os vídeos postados chegaram a 17 mil visualizações em menos de um dia, a internet estava fervendo como louca tento até famosos comentado sobre como nunca tinha visto “esse lado”da cantora, estando muitos surpreso e decepcionados com tudo isso. Os dois vídeos mais vistos são onde Sarah falava mal dos seus fãs e tratando de maneira grosseria e rude os seus ajudantes. Os fãs estavam revoltados e exigiam uma explicação.

No telão mostrado atrás do apresentador, a figura de uma bela mulher apareceu fazendo todos prenderem a respiração. A beleza da Deusa era muito comentada mas ainda assim haviam poucas fotos dela postadas atualmente. A figura simples e espelta de seus cabelos negros presos num grande rabo de cavalo eram brilhantes, o que dava destaque ao seu lindo rosto de olhos grandes e lábios fartos que, mesmo sem muito maquiagens, parecia esculpido pessoalmente por um Deus da arte.

Sarah Devilly estava sentada em cima de sua cama com a câmera em cima de uma mesinha, ela vestia roupas simples de cores claras que a deixava parece ainda mais causal e com um ar descontraído, seus sorriso era largo e brilhante, nem parecia que a cantora estava passando por um momento tão difícil na sua carreira.

– Senhorita Devilly, obrigada por aceitar nosso convite para essa entrevista exclusiva! É bom tela novamente aqui em nosso programa!

– Eu que agradeço por sua atenção Mario.

A voz da jovem era suave e tranquila, nem um pouco ansiedade era mostrado.

– Vamos direto ao assunto, nós e todos os seus fãs queremos saber o que aconteceu nesse vídeo que iremos mostra agora, onde você xingar os seus fãs e até trata grosseiramente a pessoa que está gravando…

No vídeo: ” Sarah estava sentada na frente do espelho nuns dos seus camarins, ela parecia retoca a maquiagem enquanto conversava com a uma pessoa atrás da câmera, ela parecia irritada.

– Aqueles desgraçados! Olha o que fizeram! Eles não podem ficar calados? Não! Tinham que não só me seguir escandalosamente mas também arruinaram tudo!

– Sarah não fale assim! Eles são seus fãs! Você devia da respeito a eles!

– Aqueles idiotas irritantes não podem ser considerados meus fãs! E cale a boca Rina! Não os defenda!

Depois o vídeo foi cortado, agora mostrava Sarah ensaiando com seu grupo, a pessoa que estava gravando parecia está andando.

Uma jovem ajudante chega perto de Sarah com uma garrafa de suco, nesse momento a imagem e tampada por uma parede e só se pode ouvir o grito de Sarah, quando a pessoa que está gravando passa pela parede a cena gravada era da ajudante totalmente melada de suco e Sarah mandado ela sai, a cantora parecia irritada e muito frustada”

– Bom…esses são os dois vídeos mais vistos e que deixou muitos revoltados! Sarah o que você pode dizer sobre tudo isso mostrado? Afinal as cenas eram totalmente da senhorita completamente fora de se!

– Mario, você se lembra do desastroso show de ano novo quando vários fãs invadiram o palco e até mesmo agrediram meus dançarinos?

– Sim! Nós apresentamos aqui esse caso, foi um verdadeiro desastre, eles até empuraram uma senhora que acabou parando no hospital mas graças a Deus ela só teve ferimentos leves!

– Exato, o vídeo foi gravado logo após o show e obviamente eu estava muito irritada! Eu e minha equipe estávamos preparando esse show a meses e era a realização de um sonho mas acabou tudo em minutos por causa deles…e também o outro vídeo foi que a menina chamada Sheila era novata e não sabia que eu era alérgica a morango e acabou eu bebendo o suco e isso aconteceu…eu não deveria ter me transtornado tanto mas estava com medo de ter uma reação muito forte…isso aconteceu um dia antes do encontro onde eu conheceria meus fãs pessoalmente!

– É compreensível você está tão irritada! Qualquer um nessa situação faria o mesmo! E que lembro bem, o encontro foi adiado naquela manhã por causa de um imprevisto, agora sabemos o porque!

– É! Mas não deveria ter falado deles dessa maneira, mesmo com tudo que fizeram, eles são meus fãs e como uma pessoa pública eu deveria ser má consciente. Eu peso desculpa para todos que estão me assistindo nesse momento! Podem ter certeza que mesmo tudo isso eu valorizo e amo meus fãs!

– Isso foi realmente só um grande mal entendido! Senhorita Sarah como está se sentindo agora? Com todos seus ataques e até famosos comentado sobre o assunto, soube que você teve até que cancelar sua conta no Instagram!

– Sinceramente estão muito triste e decepcionada com tudo isso! Por causa de alguém e alguns vídeos de segundos o amor dos meus fãs que tanto lutei para conquistar quase foi arruinado…. Mas isso só prova que eu falhei em conquista a confiança dos meus fãs, irei trabalhar duro agora para realmente conquista seus corações para que um simples post não os engane novamente!

A jovem mulher na tela mostrava uma expressão de puro lamento, quando uma lágrimas solitária caio em seu rosto até agora sereno má ainda assim tinha um sorriso brilhante no rosto, isso fez com que todos que estavam assistindo se sentirem envergonhados. Como uma mulher tão linda poderia ser arrogante e orgulhosa como aqueles posts disseram? Ela obviamente está assumindo uma culpa que não é dela! Seu coração gentil não pode sofre tanto ataques!

Agora a raiva do público se voltou para todos que falaram mal da Deusa e um novo movimento se faz para acha o dono do site que postou os vídeos.

Assim que a transição acabou, a jovem gentil se transformou em uma mulher fria como gelo, seus olhos claros refletiam pura irá.

– S-S-Senhora…D-Devilly…..

A assistente de Sarah estava muito nervosa. Depois de 2 anos trabalhando para a famosa cantora, ela entendeu por que os outros se demitiram tão rapidamente mesmo sem houver nenhum caso de maus tratos ou qualquer coisa, Sarah Devilly era uma mulher perigosa. Mas não alguém ruim mas sim uma pessoa calculadora. Ninguém sabia qual era sua eu verdadeiro. Uma hora ela era gentil e delicada como uma flor e na outra mandaria alguém pra cadeira até o próprio morre dentro da cela, e isso tudo sem cometer nenhum erro fora da lei ou mancha sua imagem.

Para a assistente, trabalhar com ela, era ataque psicológico!

Mais o emprego era muito bom e paga muito bem, ela sabiá que no momento que saísse haveria uma fila de desavisados para ocupa seu lugar.

– Fale logo ou cale a boca.

– O detetive já encontrou as provas que a senhora queria e ao que parece ela viajou para a Inglaterra e está na fazenda do seu noivo, o dinheiro foi enviado ao poucos desde 2014. Encontramos seus cúmplices na ala administrativa, eles não confessaram mas o chefe da segurança disse que vai fazer-los fala em menos de 24 horas!

– Mande eles falarem em menos de 6 horas! Eu quero tudo ainda hoje!

Sarah rapidamente trocou de roupa, colocando uma saia grande negra que marcava as curvas do seus corpo e uma blusa branca delicada com mangas caídas, seus cabelos soltos e seu salto a deixavam mais linda e elegante que ela parecia. O motorista parecia sabe que sua chefe estava a ponto de explodir então engoliu as palavras de cortesia e rapidamente acelerou o carro indo direto para a delegacia.

Sarah estava com sentimentos perturbados. Fazia anos que estava desconfiada da sua querida irmã mas não achava que sua inveja e ciúmes eram tão grandes e devastos, no começo acha que ele estava roubando apenas dinheiro mas o que se revelou foi algo mais sério. Uma pura traição!

Sarah e seu irmã mais nova Rina eram as únicas mulheres do clã Ryuixe. Filhas do chefe e uma amante, elas eram tratadas como servas do clã, seu pai biológico não era uma ser agradável, ele queria um homem para herda o legado da família mas recebeu duas garotas e uma delas tinha um corpo muito fraco, Sarah.

Durante anos de sua pouca infância, Sarah lutava para ganhar respeito e prestígio no clã, sendo sequestrada e maltratada pelos inimigos e os próprios irmãos de juramento. Ela sofreu muito para proteger sua pequena irmã, ganhar os olhos do seu pai impiedoso e luta com a doença que estava matando seu corpo.

Aos seus 12 anos terminou a escola e começou sua carreira como artista, querendo sair daquele mundo de armas e política. Aos 16 deve sua primeira desilusão amorosa e sua primeira traição, seu namorado estava não só saindo com sua amiga mas também revelando sua vida de modo devastos num site da internet para todos da sua antiga escola. Seu nome foi jogado na lama e muito riam dela quando passava pela rua.

Assim que conseguiu forma um contrato com uma empresa de modelo Sarah pegou sua irmã e assumiu que iria sair do clã Ryuixe e deixa seu nome. O seu pai ficou revoltado e a trancou dizendo que seu casamento com um aliado já estava marcando para alguns dias e se ela o desobedecesse iria vende sua irmã para qualquer lacaio do submundo.

E foi assim que Sarah manchou suas mãos de sangue pela primeira vez. Ela matou seu “noivo” na noite de núpcias e envenenou seu querido pai, que (infelizmente) não morreu mas ficou incapaz de fica em seu posto, fugindo logo após para fora do pai, levantando com sigo sua irmã.

Desde então ela nunca mais soube mada do clã até aquele ano, até aquele momento… quando sua irmã a traio junto com o novo chefe da família Ryuixe.

A mesma irmã que ela lutou tanto para proteger a odeia, em seus próprias palavras – Sarah era aquela que a tirou tudo, o pai, o clã, o sucesso e até o noivo. Ela queria tudo que Sarah tinha e uma vez deve.

Ela queria se torna a esposa do clã Ryuixe, ganhar o respeito não só do governo como também das pessoas. Sua fama e o seu legado, no qual ela desistiu a anos atrás.

Naquele dia, Sarah nunca tinha chorado tanto. As lágrimas que ela não pode deixar cair quando era criança se libertaram naquele momento durante horas.

Ela não tinha mais ninguém. Nem família, nem casa, nem amor ou confiança.

Sarah se despertou dos seus pensamentos ao perceber que tinha deixando lágrimas caírem em seus rostos, não lágrimas de encenação mas sim verdadeiras, verdadeiras de pura mágoa.

– Senhorita…!!!

Ao grito do motorista, tudo aconteceu em segundo.

Os olhos claros de Sarah viram luz e de repente uma explosão. Tudo ficou quente e negro, sem um pingo de luz.

“É assim que irei morre?” Pensou ela sentido a dor intensa em seu corpo.

– Ajudem!

– Socorro! Chamem a ambulância!

– tirem eles dá li!

– rápido!

– Cuidado o carro vai explodir!!!

<Próximo>

Índice